Como ‘Corra!’ virou um dos filmes com mais indicações ao Oscar?

0

“Corra!”, um filme de terror que tem o racismo como tema principal, levou quatro indicações ao Oscar, incluindo filme, diretor para Jordan Peele e ator para Daniel Kaluuya.

Só é favorito para ganhar como melhor roteiro original, mas mesmo assim tanto prestígio na mais famosa das premiações é uma surpresa para um filme meio estranho e feito por um cineasta estreante.

Na trama, um homem negro vai conhecer os pais de sua namorada branca em uma viagem de fim de semana para o interior, mas o ambiente que parecia amistoso além da conta vai se transformando em um pesadelo.

Para tentar explicar como “Corra!” virou este fenômeno, antes da premiação que acontece no domingo (4), o G1 lista abaixo números e curiosidades do filme:

O filme foi muito além das expectativas. Peele se tornou o primeiro diretor negro a faturar mais de US$ 200 milhões com um filme de estreia, sendo que o orçamento de “Corra!” foi de apenas US$ 5 milhões.

Chance the Rapper curtiu tanto o filme que comprou ingressos para vários cinemas de Chicago, cidade onde mora, para ajudar com a bilheteria e fazer com que mais pessoas tivessem chance de ver. Era só aparecer com um documento com foto e ver o filme de graça.

No Metacritic, site que compila as principais críticas escritas em inglês, o filme teve 47 avaliações positivas, uma avaliação mediana e nenhuma negativa. Ficou com 84 de pontuação, sendo que o máximo possível era 100. Tá bom pra você?

Dois dos principais jornais do mundo babaram. “O que faz ‘Corra!’ emocionante e inquietante de verdade é como a vida real vai aparecendo no filme, cena após cena”, elogiou o “The New York Times”. “É muito assustador, muito engraçado e tão impiedoso quanto o bisturi de um cirurgião”, comparou o “Guardian”.

Keegan-Michael Key e Jordan Peele agradecem o prêmio como melhor programa de variedades com esquetes com "Key and Peele" (Foto: Mike Blake/Reuters)

Keegan-Michael Key e Jordan Peele agradecem o prêmio como melhor programa de variedades com esquetes com “Key and Peele” (Foto: Mike Blake/Reuters)

Jordan Haworth Peele, hoje com 39 anos, ficou conhecido nos Estados Unidos atuando como comediante no programa “Key and Peele”. Na atração humorística, o ator, roteirista e diretor nova-iorquinho dividia as atenções com Keegan-Michael Key.

A esquete abaixo, exibida no Comedy Central, mostra um pouco do que se vê em “Corra!”. Mesmo com atuações e formato mais escrachados, dá para notar o misto de humor tenso e thriller engraçadinho. É meio exagerado, mas é bom demais.

Bradley Whitford e Catherine Keener em 'Corra!' (Foto: Divulgação)

Bradley Whitford e Catherine Keener em ‘Corra!’ (Foto: Divulgação)

O britânico Daniel Kaluuya é o protagonista. Conhecido por ter atuado na série “Black Mirror”, ele também foi escalado para “Pantera Negra”, novo filme da Marvel.

Bradley Whitford (“West Wing”) e Catherine Keener (“Capote”) interpretam os sogros pacatos, mas nem tanto. A namorada (Allison Williams, a Marnie de “Girls”) foi escolhida para fazer os testes para o papel por “parecer uma menina pela qual você se apaixonaria fácil em um acampamento na juventude”, explicou o diretor.

 Allison Williams em 'Corra!' (Foto: Divulgação)

Allison Williams em ‘Corra!’ (Foto: Divulgação)

Emoji: O Filme (Foto: Divulgação)

Emoji: O Filme (Foto: Divulgação)

A animação “Emoji: O filme”, eleita um dos piores filmes de 2017,teve pelo menos um bom resultado para o cinema. Jordan Peele revelou que um convite para dublar o “emoji de cocô” o incentivou a desistir de atuar como comediante e se dedicar à carreira de diretor.

“‘Emoji: O filme’ me ajudou a desistir de atuar, na verdade. Eu recebi o convite para fazer o ‘cocô’. É verdade. Eu não inventaria isso”, disse Peele.

Quando ele foi perguntar qual seria o pagamento, o papel já tinha sido aceito por Patrick Stewart.

Peele se junta ao grupo de outros quatro cineastas negros indicados ao Oscar:

  1. John Singleton (“Os donos da rua”, 1991)
  2. Lee Daniels (“Precious – Uma história de esperança”, 2009)
  3. Steve McQueen (“12 anos de escravidão”, 2013)
  4. Barry Jenkins (“Moonlight”, 2016), que não venceu como diretor, mas levou a estatueta de melhor filme

Peele pode se tornar o primeiro negro da história a ganhar o Oscar de direção. Ele também é a terceira pessoa na história a receber indicações nas categorias de melhor filme, melhor diretor e melhor roteiro em sua primeira produção.

Compartilhar.

Sobre o autor

Seja bem-vindo ao seu guia virtual. O website está com novo e moderno design e, também, com ferramentas especiais para auxiliarem na acessibilidade às plataformas e trazerem dinamicidade aos anúncios.

Deixe sua pergunta aqui