Quarto dia de greve dos caminhoneiros tem mais de 50 pontos de manifestação em Minas

0

A greve dos caminhoneiros que atinge vários estados brasileiros chegou ao seu quarto dia. A categoria protesta contra a alta dos combustíveis. Em Minas Gerais, por volta das 10h30, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) contabilizava 49 pontos de interdição nas BRs. Nesses pontos há restrição de passagem para veículos de carga, inclusive caminhonetes e furgões.

 

Ver imagem no TwitterVer imagem no Twitter

 

Movimentação tranquila no entorno e na portaria da Regap, na BR-381(foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press)
Na Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim, às margens da BR-381, a movimentação é tranquila nesta manhã. Caminhoneiros permanecem no local, impedindo a entrada e saída de caminhões-tanque na refinaria para reabastecimento, além dos veículos de carga, também com tráfego bloqueado.
Já nas estradas sob responsabilidade da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), por volta das 8h30 havia cinco pontos com restrição de carga. Uma, inclusive, chegando no Anel Rodoviário, como ocorrido nessa quarta-feira:
  • MG-010, km 18, sentido Belo Horizonte: caminhoneiros no acostamento
  • BR-356, km 56, em ambos os sentidos: permitida passagem de carga viva, produtos perecíveis e veículos de passeio
  • BR-356, km 73, em ambos os sentidos: permitida passagem de carga viva, produtos perecíveis e veículos de passeio
  • MG-129, km 130, em ambos os sentidos: permitida passagem de carga viva, produtos perecíveis e veículos de passeio
  • MG-424, próximo à Cidade do Galo: rodovia bloqueada no início da manhã, já liberada.
  • Anel Rodoviário, altura do Bairro Olhos D’Água, no entroncamento com as BRs-040 e 356. Neste trecho, caminhoneiros fecham uma faixa da direita, mas a passagem de outros veículos, até mesmo de carga, é permitida.

A paralisação causou desabastecimento de alimentos e combustíveis, comprometendo vários setores. Sem fornecimento de alimentos, os produtos começaram a desaparecer da CeasaMinas e os preços dispararam, com aumento médio de 140% e em alguns casos de até 470%, como na batata.

Os postos de Minas, São Paulo e outros estados começaram a ficar sem combustíveis. A BHTrans anunciou redução de 50% das viagens de ônibus fora do horário de pico e as empresas avisam que podem ser obrigadas a parar nos próximos dias. A PM diminuiu as viaturas nas ruas.

Quarto dia de greve dos caminhoneiros tem mais de 50 pontos de manifestação em Minas. Na foto, movimentação no entorno e na portaria da Regap, na BR-381, em Betim(foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press )

A falta de combustível também afeta os aeroportos. Em Brasília, pelo menos três voos foram cancelados e terminais de São Paulo, Recife, Palmas, Aracaju e Maceió só tinham querosene de aviação para operar até ontem. Para tentar amenizar o problema, no início da noite o presidente da Petrobras, Pedro Parente, anunciou redução de 10% no preço do diesel durante 15 dias.

Nesta quinta-feira, as hashtags #GreveDosCaminhoneiros e #EuApoioAGreveDosCaminhoneiros lideravam os Trending Topics, lista de assuntos mais comentados do Twitter. Veja a repercussão na rede social:

 

 

 

 

Compartilhar.

Sobre o autor

Seja bem-vindo ao seu guia virtual. O website está com novo e moderno design e, também, com ferramentas especiais para auxiliarem na acessibilidade às plataformas e trazerem dinamicidade aos anúncios.

Deixe sua pergunta aqui